Estrutura Acionista / Participações Qualificadas

Nos termos do disposto nos artigos 447º do CSC e 16º do CVM e tendo por referência as comunicações efetuadas aos CTT, a estrutura das participações qualificadas nos CTT é a seguinte:

Atualização: 17 setembro 2020

Ações Capital Social
Manuel Champalimaud, SGPS, S.A.(1) 19.683.269 13,12%
Global Portfolio Investments, S.L.(2) 15.057.937 10,04%
GreenWood Builders Fund I, LP (3) 9.880.000 6,59%
Norges Bank  8.050.599 5,37%
BBVA Asset Management, SA SGIIC (4) 3.495.499 2,33%
BPI Gestão de Activos (5) 3.044.307 2,03%
Restantes acionistas 90,788,389 60,53%
TOTAL 150.000.000 100,00%

(1) Esta participação é imputável a Manuel Carlos de Melo Champalimaud, sendo constituída por uma componente de 0,24% detida diretamente e por uma componente de 12,83% detida indiretamente através da Manuel Champalimaud, SGPS, S.A., empresa controlada por Manuel Carlos de Melo Champalimaud, e ainda ações detidas por membros do Conselho de Administração da Manuel Champalimaud, SGPS, S.A. (0,06%).
(2) Participação imputável à Indumenta Pueri, S.L...
(3) GreenWood Investors, LLC, de que Steven Wood, Administrador não executivo dos CTT, é Managing Member, exerce os direitos de voto não em seu nome próprio mas em nome do GreenWood Builders Fund I, LP na qualidade de sociedade gestora. A cadeia completa de empresas controladas através das quais são detidos os direitos de voto inclui a GreenWood Investors, LLC e a GreenWood Performance Investors, LLC.
(4) O BBVA ASSET MANAGEMENT, SA, SGIIC exerce os direitos de voto não em seu nome próprio mas em nome dos fundos BBVA BOLSA FI, BBVA BOLSA EURO FI, BBVA BOLSA EUROPA FI e BBVA BOLSA PLUS FI na qualidade de sociedade gestora. A Cidessa Uno SL é a entidade controladora direta do BBVA ASSET MANAGEMENT, SA, SGIIC.
(5) Comunicação de participação qualificada recebida pelos CTT em 29 de outubro de 2019. Participação correspondente ao conjunto de ações dos CTT detidas por fundos de investimento mobiliários portugueses geridos pela BPI Gestão de Activos bem como detidos por carteiras relativamente às quais a BPI Gestão de Activos Fundos tem a respetiva gestão discricionária.

Nota: Na sequência do registo comercial, em 24 de agosto de 2015, dos atos relativos à criação do Banco CTT, S.A., subsidiária dos CTT, informa-se que os investidores que pretendam deter participação qualificada nos CTT e indiretamente no Banco CTT, S.A. (i.e., participação direta ou indireta igual ou superior a 10% do capital social ou dos direitos de voto ou que, por qualquer motivo, possibilite exercer influência significativa na gestão) devem comunicar previamente ao Banco de Portugal o seu projeto para efeitos da respetiva não oposição (cf. art. 102º do RGICSF - Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras); igualmente a partir daquela data, os atos ou factos que resultem na aquisição de uma participação que atinja, pelo menos, 5% do capital ou dos direitos de voto dos CTT e indiretamente do Banco CTT, S.A. devem ser comunicados ao Banco de Portugal, no prazo de 15 dias a contar da respetiva verificação (cf. art. 104º do RGICSF).