Consulte os alertas sobre ações de phishing, usando a marca CTT, em circulação. Veja aqui.

Uma lenda que virou dia de tradição

A versão mais disseminada conta que, por alturas do séc. III, o Imperador Cláudio II, decidiu proibir temporariamente a celebração de casamentos para garantir que os jovens se concentrassem mais facilmente na guerra e na vida militar.

Contudo, o bispo Valentim contrariou as ordens e continuou a celebrar casamentos, agora na clandestinidade tendo sido preso e condenado à morte. Até à sua execução, foi recebendo flores e bilhetes (o que explica a troca de postais, cartas e presentes, hoje em dia) enviados por anónimos como demonstração de apoio pela causa.

Fonte: ensina.rtp.pt