Consulte os alertas sobre ações de phishing, usando a marca CTT, em circulação. Veja aqui.

Portugal: Conservação dos organismos fluviais

Este projeto visa preservar algumas das espécies de peixes de água doce mais ameaçadas no nosso país, promovendo ações de reprodução destas espécies e medidas de conservação do seu habitat para depois as devolver ao meio natural.

Em cursos de água já fortemente pressionados pelas atividades humanas têm ocorrido fenómenos extremos associados às alterações climáticas, tais como: mais secas e estios prolongados e secos, levando vários organismos fluviais a uma situação de quase pré-extinção. Os mais vulneráveis, neste momento, são diversas espécies piscícolas do Centro e Sul do país e uma planta, o narciso do Algarve. Este projeto leva a cabo ações de reprodução destas espécies, bem como medidas de conservação do seu habitat, para que seja possível devolvê-las ao meio natural sem riscos acrescidos, tendo em conta um clima em mudança. No final do processo de reprodução e ambientação em cativeiro, os repovoamentos de peixes são efetuados em troços dos rios de origem que apresentem características favoráveis à sua sobrevivência e reprodução.

Conservação dos organismos fluviais

Nome do País Portugal
Área (km2) 91.606
População (milhões) 10,3

Rendimento/capita (US$)

23.252
Esperança de vida à nascença (anos)
 80,7
Taxa de mortalidade infantil <5 anos (/1000 nascimentos) 3,7
População adulta analfabeta (%) 3,9
Pegada ecológica (ha/capita) 4,4
Emissões CO2 (ton/capita)
4,73