CTT Líder Mundial em Sustentabilidade

12 de janeiro, 2017

Os CTT atingiram o ranking mais elevado das empresas postais mundiais que melhor cumprem critérios de eficiência carbónica na sua atividade. Neste ranking estão também apenas quatro outros operadores postais: um norte-americano, um australiano e dois da Europa do Norte. As emissões carbónicas dos CTT são hoje apenas 30% das produzidas em 2008, i.e., foi conseguida uma redução de 70%. Foi a maior redução da pegada carbónica de sempre no seu setor, a nível mundial.

A liderança agora obtida confirma a adequação da estratégia, políticas e práticas há bastante tempo seguidas, e reforça a aposta estratégica dos CTT na redução de consumos de combustíveis fósseis e de eletricidade, na ampliação de uma frota de veículos alternativos que é já a maior do país com 318 automóveis de mercadorias, trolleys, motociclos e quadriciclos elétricos e bicicletas, no recurso a eletricidade 100% renovável, no lançamento de uma solução pioneira de correio (o Correio Verde) com zero impacto carbónico no planeta e no apoio a projetos de defesa da biodiversidade geridos por instituições especializadas (como a Quercus).

Este lugar no grupo dos 5 melhores, com o nível de “Leadership” (A-), foi obtido no âmbito do Carbon Disclosure Project 2016 Climate Change (CDP), um índice do mercado de capitais que é o principal rating de sustentabilidade energética e carbónica a nível mundial. A grande maioria dos investidores qualificados dos CTT é também subscritora do CDP e essa informação é usada na tomada de decisões de investimento.

Este índice é produzido anualmente em nome de mais de 800 investidores institucionais, que no seu conjunto gerem ativos superiores a 100 triliões de dólares. O índice avalia cerca de 5800 empresas, representando perto de 60% do volume de capitalização bolsista mundial, incluindo os maiores operadores postais tradicionais cotados, bem como os grandes integradores privados internacionais do mercado das encomendas e logística.

De acordo com Francisco de Lacerda, PCA & CEO dos CTT, “A redução da pegada ecológica dos CTT é estratégica para a empresa ao nível da eficiência energética e da realização de poupanças, mas é também estratégica no cumprimento do nosso dever de deixar um legado ambiental de defesa do planeta e da biodiversidade às gerações futuras. Estas opções e esta ligação à comunidade fazem parte das nossas características fundamentais, do nosso código de conduta e são um fator de identificação com grande parte dos nossos acionistas, também pertencentes a este índice”.

O desempenho ambiental dos CTT tem vindo a ser crescentemente reconhecido, nacional e internacionalmente. Os CTT passaram recentemente da 5ª para a 3ª posição mundial no programa de proficiência carbónica EMMS do Internacional Post Corporation, uma organização que agrega operadores postais da Europa, América do Norte e Ásia; também em 2016, o projeto “Uma Árvore pela Floresta”, da iniciativa dos CTT e da Quercus e que pretende apoiar a reflorestação de Portugal por espécies autóctones, sobretudo em regiões afetadas pelos incêndios, venceu a 8ª edição do Green Project Awards na categoria Iniciativa de Mobilização; e recebeu ainda o Prémio “CSR Coups de Coeur”, da PostEurop, uma organização afiliada das Nações Unidas para o setor postal que agrega 52 operadores públicos europeus.