CTT lembram cem anos da batalha de La Lys em emissão filatélica

4 de abril, 2018

Os CTT lembram, no próximo dia 9 de abril, os 100 anos da Batalha de La Lys numa emissão filatélica que tem como objetivo evocar o centenário desta batalha, garantindo através da Filatelia, a perenidade deste momento singularmente doloroso e heroico da história de Portugal.

Em todos os momentos deste conflito sobressaiu o Homem e é por isso que o tema e figura central do conjunto filatélico que assinala o centenário da Batalha de La Lys é o homem combatente. Do lado esquerdo, o selo desta emissão mostra militares portugueses nas trincheiras, em França, em 1917, e à direita, um telefone de campanha e cantil, utensílios da I Guerra Mundial. O selo do bloco filatélico retrata a rotina nas trincheiras em Neuve Chapelle, também em 1917, e o fundo do bloco as tropas portuguesas em abrigo; militares junto a um posto de ajuda regimental perto de Neuve Chapelle, em 25 de junho de 1917 e um levantamento cartográfico das zonas ocupadas pelas Tropas da 2.ª Divisão em Ferme du Bois, Neuve Chapelle e Fauquissart, em 9 de abril de 1918.

Ao pronunciarmos a expressão «La Lys» evidenciamos respeito e profunda homenagem ao sacrifício de um povo. A coragem e a determinação de uma juventude que, ao serviço das Forças Armadas Portuguesas, se bateu em África e na Europa, num conflito que a História designaria por Grande Guerra. A Batalha de La Lys pode ser considerada como um ex-libris do combatente português do século XX e, por isso, o dia 9 de abril de 1918 ficou para sempre assinalado como Dia do Combatente.

Há décadas que a Liga dos Combatentes, com a presença das mais altas individualidades do Estado e das Forças Armadas, evoca o dia 9 de abril de 1918 em cerimónias nacionais, em Richebourg e La Couture (França) e no Mosteiro da Batalha, junto ao túmulo do soldado desconhecido, homenageando os combatentes da Grande Guerra.

Esta emissão é composta por um selo para envio na Europa com uma tiragem de 125 000 exemplares e um bloco filatélico com o valor de 2,00€ e uma tiragem de 40 000 exemplares. O design dos selos esteve a cargo do atelier Design&etc / Hélder Soares.

As obliterações de primeiro dia serão feitas nas lojas dos Restauradores em Lisboa, Munícipio no Porto, Zarco no Funchal e  Antero de Quental em Ponta Delgada.