CTT celebram 150 anos de Gandhi com bloco filatélico de algodão

1 de outubro, 2019

Foto da notícia

Os CTT celebram, esta quarta-feira, dia 2 de outubro, os 150 anos do nascimento de Mahatma Gandhi com uma emissão de selos em khadi, o tecido artesanal de fibra natural que Mahatma Gandhi fiava na sua charkha e usava para se vestir, sendo Portugal e a Índia os únicos países do mundo que decidiram utilizar este tipo de material na impressão de selos.

A cerimónia de lançamento da emissão filatélica será no próximo dia 2 de outubro, quarta, feira, e terá lugar no Complexo da Comunidade Hindu de Lisboa, - Alameda Mahatma Gandhi – pelas 19h30.

Esta emissão, para além de ser uma digna homenagem a um grande homem, é também um testemunho dos laços históricos de mais de meio milénio entre a Índia e Portugal e uma celebração da ligação entre estes dois povos.

Gandhi foi um homem que transmitiu mensagens intemporais que continuam a inspirar pessoas de todo o mundo. Tinha como lema de vida, tornar-se na melhor versão de si próprio – um «Mahatma» ou «Grande Alma» que incentivou todos a «serem a mudança que querem ver no mundo».

Gandhi era defensor convicto do Ahinsa, um princípio que consiste em não cometer violência contra outros seres. “Ele acreditava que, se cada um de nós assumisse a sua própria responsabilidade pelo seu desenvolvimento pessoal e respondesse com sabedoria e em consciência mesmo às situações mais injustas, a verdade, a paz e o amor prevaleceriam. Defendeu sempre a fraternidade universal e não só viveu estes valores universais como também os integrou em todas as áreas da vida, incluindo na política, advogando o conceito do Estado Ideal (Ram Rajya), lutando pela verdade e a justiça através da força espiritual (Satyagraha), edificando os mais pobres (Sarvodaya), e promovendo a autossuficiência (Swadeshi), a participação do povo nas mudanças sociais (Jan Bhagidari) e o desenvolvimento ecológico”, conforme afirmou a Embaixadora da Índia em Portugal, K. Nandini Singla.

Com esta emissão filatélica os CTT pretendem não só celebrar os 150 anos do nascimento de Gandhi, mas também pretendem que as suas mensagens e palavras continuem a ser relembradas, por forma a tornarmos o mundo melhor, conforme Gandhi sempre defendeu.

O selo terá a tiragem de 100 000 exemplares e valor facial de 0,91 euros; e o bloco com tiragem de 35 000, e valor facial de 3 euros. O design esteve a cargo de Elizabete Fonseca do Atelier Design&etc e os selos têm uma dimensão de 30,6mmX40mm. 

As obliterações de primeiro dia serão feitas nas lojas dos Restauradores em Lisboa, Munícipio II no Porto, Zarco no Funchal e Antero de Quental em Ponta Delgada.