Celebração dos 700 anos da Ordem de Cristo em emissão filatélica dos CTT

12 de março, 2019

Os CTT apresentam no próximo dia 14 de março uma emissão filatélica que celebra os 700 anos da Ordem de Cristo, uma Ordem com raízes na Cristandade medieval da Cruzada e da Reconquista, que ultrapassou crises internas da Igreja e crises políticas do Estado, chegando aos dias de hoje transformada pelo espírito dos tempos, e profundamente prestigiada aos olhos de nacionais e estrangeiros.

Os selos desta emissão mostram-nos D. Diniz; a Bula Ad Ea Quibus Cultus Augeatur, do Papa João XXII, pela qual instituiu a Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo, em 1419; o Infante D. Henrique, Duque de Viseu e uma caravela portuguesa. O bloco filatélico com um selo traz consigo as regras e definições da Ordem do Mestrado de Nosso Senhor Iesu Christo; a Leitura Nova, «Livro 4 da Estremadura», e Castro Marim, situado no Extremo de Portugal e Castela por Duarte de Armas, escudeiro da casa do rei D. Manuel I.

A Ordem dos Templários, «Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão», tem a sua origem no início do século XII, na sequência da I Cruzada. Instalou-se desde o Condado Portucalense para apoiar a Reconquista e ajudar a fixar a fronteira na zona entre o Mondego e o Tejo, a norte de Santarém.

Foi D. Dinis quem salvou a crise por que passaram os Templários, transformando-os com o assentimento papal (Bula Ad ea ex quibus, de 14 de março de 1319, do Papa João XXII), na nova Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo. Foi esta Ordem que, uma vez terminada a Reconquista foi a base fundamental de apoio aos descobrimentos marítimos, e que sofreu subsequentes evoluções de estatuto, até chegar à atualidade. A Ordem Militar de Cristo pode ser atribuída a quem se distinga por destacados serviços prestados ao País no exercício das funções de soberania.

Hoje, a Ordem de Cristo é uma Ordem Honorífica da República Portuguesa, integrando o Grupo das Antigas Ordens Militares, e que tem por Grão-Mestre o Presidente da República, Grão-Mestre de todas as Ordens Honoríficas Portuguesas. A sua atividade decorre no âmbito do Conselho das Antigas Ordens Militares, que, tal como o respetivo Chanceler, é designado pelo Presidente da República, e é apoiada pelo Secretário-Geral das Ordens Honoríficas, tendo por sede o Palácio de Belém.

A emissão filatélica é composta por dois selos e um bloco filatélico com um selo. Os dois selos têm uma tiragem de 100 000 exemplares cada e os valores faciais de, 0,53€ e 1,00€. O bloco filatélico com um selo tem o valor de 2,00€ e uma tiragem de 35 000 exemplares.  O design dos selos esteve a cargo do Atelier Design&etc (Elizabete Fonseca) e os selos têm uma dimensão de 40 X 30,6 mm e o bloco 125 X 95 mm. As obliterações de primeiro dia serão feitas nas lojas dos Restauradores em Lisboa, Munícipio II no Porto, Zarco no Funchal, Antero de Quental em Ponta Delgada e Loja CTT de Castro Marim.