Selos dos CTT dedicados à Imprensa Nacional vencem prémio internacional de design

29 de julho, 2019

Foto da notícia

O selo comemorativo dos 250 anos da Imprensa Nacional, foi distinguido com o prémio Graphis Gold - Graphis Design Annual - a mais prestigiada revista de design do mundo, na categoria Print/Stamps. O Atelier de Design Studio, que executou para os CTT Correios de Portugal muitas emissões de selos ao longo dos anos, foi distinguido pelo design do selo comemorativo dos CTT, este desenhado por Eduardo Aires.

A Graphis (The International Journal of Visual Communication) é uma publicação de referência no universo das artes gráficas, nascida na Suíça em 1944. Actualmente tem a sede em Nova Iorque e apresenta todos os anos os melhores projectos de design, publicidade, fotografia e ilustração. É considerada a montra mundial de excelência para o design e artes visuais.

Os CTT sentem-se muito honrados com mais este prémio, que com gosto adicionam a uma longa lista que ajudou a tornar a filatelia portuguesa numa das mais reconhecidas do mundo.

Os selos foram lançados dia 24 de outubro de 2018, para celebrar os 250 anos da Imprensa Nacional, criada por Alvará Régio de Dom José I a 24 de Dezembro de 1768. A emissão invoca precisamente o passado, presente e futuro da Imprensa Nacional. Os dois selos foram desenhados por Eduardo Aires, integrando, na componente histórica, um registo fotográfico da biblioteca da Imprensa Nacional, construída em 1923 e que reúne atualmente um espólio com cerca de 20 mil volumes. O segundo selo, alusivo ao presente da Imprensa Nacional, evoca uma missão editorial contemporânea e modernizada, materializado numa adaptação das peças de comunicação desenvolvidas por Eduardo Aires, a par da nova identidade da marca Imprensa Nacional.

A Imprensa Nacional integra a Imprensa Nacional – Casa da Moeda desde julho de 1972 e prossegue atualmente a sua missão como editora pública, agente cultural e de disseminação da língua e da cultura portuguesas, sendo também responsável pela publicação do Diário da República eletrónico e pela produção, na sua unidade gráfica, de livros, publicações, impressos, boletins, estampilhas e certificados, entre outros documentos de segurança.