Rendimentos operacionais dos CTT crescem 1,3% até setembro

30 de outubro, 2018

Os Rendimentos operacionais recorrentes dos CTT cresceram 1,3% nos primeiros nove meses do ano, para 524,8 milhões de euros, e 2,3% no terceiro trimestre, fruto do crescimento na área de Expresso & Encomendas (um aumento de 9,1%), do Banco CTT (um crescimento de 32,8%) e também do negócio de Correio (que cresceu 2,1%). Esta melhoria nos rendimentos operacionais acelera a recuperação verificada no primeiro e segundo trimestre deste ano e mais do que compensa a queda nos serviços financeiros.

Apesar do crescimento nos volumes e nos rendimentos, os Gastos operacionais recorrentes estabilizam no terceiro trimestre (+0,3%), fruto do Plano de Transformação Operacional em curso, que permitiu uma poupança nos gastos recorrentes de 9 milhões de euros até setembro, estando já garantida uma poupança de 14 milhões de euros para 2018, acima das previsões iniciais.

Para Francisco de Lacerda, presidente-executivo dos CTT, estes resultados refletem “uma clara melhoria no trimestre, verificando-se que o Plano de Transformação Operacional tem já um impacto positivo nos gastos operacionais recorrentes, apesar de as indemnizações por saídas continuarem a ter um impacto negativo no resultado líquido. Os resultados também são sustentados pelas nossas alavancas de crescimento, o Expresso & Encomendas e o Banco CTT, que continuaram em expansão no trimestre”.

O EBITDA recorrente dos nove meses situou-se em 65,0 M€ (-4,6%) e cresceu 22,1% no terceiro trimestre, acelerando a tendência de recuperação dos últimos trimestres e ficando acima do consensus dos analistas, que estimavam um EBITDA recorrente de 16,5 milhões de euros no trimestre.

Os Rendimentos de Correio cresceram 0,9% com o terceiro trimestre (+2,1%) a consolidar tendência ascendente. A quebra do tráfego de correio endereçado foi atenuada pela evolução muito positiva do mix de produtos (o tráfego do correio internacional de chegada cresceu 22,9% no trimestre) e pelo aumento efetivo do preço médio. Já os Rendimentos de Expresso e Encomendas (E&E) cresceram 14,7% até setembro (sem a incorporação da Transporta o crescimento seria de 10,2%).

Nos produtos financeiros, as subscrições dos produtos de poupança do Estado estabilizaram no segundo e terceiro trimestre, continuando a reduzir a tendência de queda em resultado de diversas iniciativas comerciais bem-sucedidas.

O resultado líquido dos CTT nos primeiros nove meses de 2018 foi de 9,9 milhões de euros, o que representa uma queda de 49,3% face ao período homólogo. Este resultado é fortemente influenciado pelos gastos não recorrentes associados ao Plano de Transformação Operacional, no montante de 16,3 milhões de euros.

 

Banco CTT com melhor produção de crédito de sempre

O Banco CTT, presente em 212 lojas, apresentou uma sólida performance operacional, atingindo 317 mil contas abertas e registando um crescimento dos rendimentos de 26,6% nos 9 meses de 2018, para 17 milhões de euros, sobretudo alavancado pelo crescimento da margem financeira (+3,4 M€).

Neste trimestre o Banco CTT atingiu máximos de produção de crédito habitação e de crédito ao consumo. Este foi também o melhor trimestre de 2018 em abertura de novas contas.

A 24 de julho o Banco CTT consolidou a sua estratégia com a compra da 321 Crédito, uma empresa de referência no financiamento de automóveis usados em Portugal. A 321 Crédito irá permitir a diversificação do portefólio de produtos do Banco CTT com um negócio de crédito ao consumo, e otimizar o balanço do Banco CTT, melhorando o seu rácio de transformação de 20% para mais de 60%. A conclusão da operação é esperada para o primeiro trimestre de 2019 e está dependente da não oposição do Banco de Portugal/Banco Central Europeu.