CTT mostram objetos do correio através dos tempos em emissão filatélica

9 de outubro, 2018

Os CTT lançam, dia 09 de outubro, Dia Mundial dos Correios, uma emissão filatélica dedicada ao tema “Objetos do Correio através dos tempos”, composta por quatro selos e um bloco filatélico. Esta emissão insere-se na evocação dos 500 anos do Correio em Portugal, que se comemoram em 2020.

Apoiando-se no património Museológico dos CTT, confiado à Fundação Portuguesa das Comunicações, esta emissão filatélica viaja desde os tempos dos Correios-Mores, representados num selo de 0,53€ (125 mil exemplares) com a imagem de dois sacos de sede, usados para correio especial, e de uma carta de Confirmação de Ofício datada de 1756, até aos dias de hoje.

As imagens da emblemática Balança Pesa-Cartas de Lourenço de Araújo e a Caixa da Mala-Posta do Alentejo, datada de 1830, foram os objetos escolhidos para ilustrar a primeira metade do século XIX, num selo com um valor facial de 0,65€ (100 mil exemplares).

O restante período do século XIX, marcado por uma forte política de desenvolvimento dos sistemas de transportes e comunicações, é recordado num selo de 0,86€ (125 mil exemplares) com a imagem de um ex-líbris da história do Correio – a Diligência n.º 7 da Mala-Posta, que chegou a fazer Lisboa-Porto, e que se manteve operacional até 1864.

O século XXI está representado pela imagem de uma das mais recentes aquisições dos CTT, o Veículo Elétrico para Distribuição Urbana, também conhecido como OVO (devido à sua forma), e cujo protótipo irá integrar o Património Museológico dos CTT. O selo tem um valor facial de 0,91€ e 105 mil exemplares.

Já o bloco filatélico, com um custo de 2€ (70 mil exemplares), é dedicado ao Plano Geral de Edificações dos CTT, um dos projetos dos Correios mais importantes do século XX, e que visava combater a degradação e inadequação de muitos imóveis usados pela empresa. Em destaque, está o Edifício dos Correios do Estoril, um marco da arquitetura modernista da época e do Plano.

As obliterações de primeiro dia serão feitas nas lojas dos Restauradores em Lisboa, Munícipio no Porto, Zarco  no Funchal, CTT  no Porto  Santo e Antero de Quental  em Ponta Delgada.