CTT cumprem metas de Qualidade de Serviço em 2017

25 de junho, 2018

A Autoridade Nacional de Comunicações divulgou a decisão final relativa aos Indicadores de Qualidade do Serviço de 2017, que confirma o Sentido Provável de Decisão do regulador, tornado público a 8 de maio.

Os CTT asseguram, enquanto concessionários do Serviço Postal Universal, os padrões de qualidade de serviço e cobertura de rede previstos na Lei e no Contrato de Concessão.

Em 2017, os CTT, tal como já comunicado a 16 de março, cumpriram uma vez mais o Indicador Global de Qualidade de Serviço, tendo atingido um valor de 110, superior ao objetivo definido de 100.

Este indicador global, que consiste em 11 indicadores específicos, é dos mais abrangentes em termos de diversidade de critérios a nível europeu, abarcando diversas componentes relativas à entrega de correio e incluindo também o tempo de fila de espera no atendimento.

Os CTT superaram os valores objetivo definidos para o ano em seis dos 11 indicadores referidos. Noutros três dos 11 indicadores os CTT superaram os valores mínimos atuais, o que significa que cumpriram os requisitos definidos em nove dos 11 indicadores específicos. Os indicadores mais relevantes, relacionados com correio normal, correio registado, encomendas e tempo de atendimento foram cumpridos.

Um dos indicadores relacionados com o correio azul e um dos relacionados com o correio transfronteiriço ficaram abaixo do mínimo definido.

Tendo em atenção a satisfação dos clientes e os padrões de qualidade definidos pela Anacom os CTT estão, como sempre o fizeram, continuamente empenhados em melhorar os seus processos operacionais com o objetivo de sustentar maiores níveis de qualidade de serviço através da implementação de planos de controlos de gestão rigorosos.

Os CTT não recebem qualquer compensação por serem o prestador do Serviço Postal Universal sendo o mercado de serviços postais totalmente liberalizado, podendo qualquer empresa nele operar.

A Empresa reforça a necessidade de se desenvolver um modelo de sustentabilidade de longo prazo para o setor e para o Serviço Postal Universal, tendo em conta que o volume de correspondências tem estado numa contínua diminuição desde 2001, sendo hoje cerca de metade (cerca de 700 milhões de correspondências em 2017, cerca de 1.400 milhões em 2001).

Os CTT têm vindo a desenvolver uma estratégia de transformação do seu negócio para garantir a qualidade, a eficiência e a sustentabilidade de longo prazo da empresa, quase a completar 500 anos e empregando mais de 12.000 pessoas.