Cartas ao Pai Natal já começaram a chegar aos CTT

1 de dezembro, 2014

Os CTT já começaram a receber as cartas ao Pai Natal que, todos os anos, chegam à sua rede de forma espontânea. Todas vão ser respondidas pelos CTT e este ano espera-se que cheguem às 170 mil, todas elas em papel, escritas ou desenhadas por miúdos e graúdos.

Mas este ano volta a haver um segundo Pai Natal dos Correios: o Pai Natal Solidário, que vai depositar em Lojas dos CTT de todo o País, bem como na Internet, cartas escritas por crianças desfavorecidas à guarda ou acompanhadas por IPSS, que qualquer pessoa pode apadrinhar, oferecendo o presente pedido por cada uma delas (ver informação após subtítulo).

Para o primeiro destes Pais Natal, os CTT mobilizaram já uma equipa especial com 15 pessoas que nas próximas semanas se vão dedicar a tempo inteiro a garantir que todas as crianças (e não só) recebem uma resposta, ajudando os pais a manter o sonho de Natal dos seus filhos. Os CTT acrescentarão também um pequeno presente simbólico aos meninos que se portaram bem (ou seja, todos). Só não podemos dizer qual é, para não estragar a surpresa.

As cartas ao Pai Natal chegam aos CTT destinadas a locais tão díspares como o “Pólo Norte”, “Nuvem do Pai Natal”, “Terra do Frio” ou “Caminho das Estrelas”. Estas cartas são as únicas que são aceites sem selo pelos Correios, basta que não se esqueçam de incluir o endereço de remetente.

Os CTT encaram as cartas ao Pai Natal como sendo, frequentemente, a primeira experiência das crianças na escrita de uma carta, um meio tradicional de comunicação que os meios eletrónicos acabaram por tornar mais pessoal e reservado para os momentos realmente importantes.

Os brinquedos continuam a dominar os desejos natalícios, mas têm cada vez mais a concorrência de pedidos como livros, animais e, até, irmãos.

 

Pai Natal Solidário
Duas mil cartas de crianças desfavorecidas prontas a ser apadrinhadas

Mas nos CTT o Pai Natal tem uma segunda vocação: o de garantir que cerca de duas mil crianças desfavorecidas, à guarda ou acompanhadas por instituições, têm também elas direito a que os seus pedidos sejam satisfeitos.

Nesse sentido, os CTT pediram a 2000 crianças até 12 anos de 60 instituições de solidariedade, de Norte a Sul do País, que escrevessem as suas cartas ao Pai Natal. Estas cartas estão publicadas na Internet em www.painatalsolidario.pt, no Facebook em www.facebook.com/opainatal e numa seleção de 68 Lojas CTT de Portugal continental e ilhas onde qualquer pessoa pode apadrinhá-las, oferecendo à criança o presente pedido. Basta entregá-lo nas Lojas CTT, que os CTT o entregarão gratuitamente e mantendo o anonimato das crianças e dos padrinhos.

Os sonhos de Natal destas crianças são iguais aos de todas as crianças, que se dirigem ao Pai Natal com muitos desenhos e alguns pedidos escritos, sobretudo de brinquedos.