Acordos reforçam corredor atlântico de e-commerce

18 de outubro, 2017

Os Correios de Portugal (CTT) e do Brasil (ECT) assinaram dois acordos que vão melhorar a eficiência e a competitividade dos seus produtos de correio expresso que suportam parte das trocas comerciais entre os dois países.

De acordo com os termos acordados entre os CTT e a ECT, as duas empresas reduzem conjuntamente as condições de remuneração que praticam entre si, viabilizando desse modo o lançamento de ofertas de correio expresso premium mais competitivas, para clientes de comércio eletrónico que vendem entre os dois países.

A um nível logístico, os acordos introduzem níveis de informação de melhor qualidade nos fluxos de tráfego entre os dois países, o que permite reforçar a prestação de informação de rastreamento e previsão de entrega quer a clientes, quer a destinatários.

Estes ganhos serão sentidos nas ofertas EMS e PRIME EXPRÈS (Correio Azul Internacional Prime), serviços que são já hoje a demonstração dos crescentes níveis de exigência dos clientes de e-commerce, nomeadamente no respeitante ao cumprimento de prazos e à prestação de informação aos destinatários, em tempo real, sobre o estado dos objetos.

Também a posição geográfica de Portugal e dos CTT potencia o melhoramento dos fluxos de e-commerce com origem e destino no Brasil, e o fortalecimento de negócios win-win para ambas as empresas.

Segundo Francisco de Lacerda, presidente executivo dos CTT, “O comércio eletrónico é, a par dos serviços bancários e financeiros, um dos eixos estratégicos de desenvolvimento dos CTT e acreditamos que estes acordos agora assinados com o Brasil são uma das chaves para o desenvolvimento das trocas neste corredor atlântico, aproveitando a crescente digitalização da economia e a ligação tradicionalmente relevante entre as comunidades de nacionais de ambos os países”.

Para o presidente da ECT, Guilherme Campos, o acordo visa melhorar a experiência de quem compra e vende on-line: “O comércio eletrónico aproximou os países do mundo todo e é nosso papel fomentar essa aproximação, proporcionando mais segurança e comodidade para quem compra pela internet em sites de outros países. O acordo assinado com os CTT é estratégico na otimização desse processo”, ressaltou.